Não vá embora sem garantir sua economia de energia.

Ícone fechar.

Seu futuro,
nossa energia.

Um investimento prático e inteligente,
com retorno garantido por décadas.

E descubra o quanto poderá economizar
na sua conta de energia.

0800 343 3030

Seu futuro, nossa energia.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade, e ao continuar navegado, você concorda com estas condições.

Banner Desktop: Entenda como funcionam os créditos de energia solar Banner Mobile: Entenda como funcionam os créditos de energia solar

2022

Entenda como funcionam os créditos de energia solar

energia solar apresenta diversos benefícios, além de sustentável, traz uma economia de até 95% na conta de luz.

Outra vantagem é que você não perde a energia que foi gerada a mais, pois ela fica como créditos para você.

Neste post vamos explicar o que são esses créditos e o que você pode fazer com eles.

Vamos por partes!

O que são os créditos de energia solar?

Os créditos de energia solar são obtidos através do Sistema de Compensação de Energia Elétrica, estabelecido pela Resolução Normativa 482/12 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Por se tratar de uma ‘parceria’ entre o microgerador de energia e a distribuidora de energia, somente os sistemas on grid são capazes de gerar os créditos.

Na prática, ao longo do dia o sistema fotovoltaico produz a energia consumida pelo imóvel e a energia excedente é injetada na rede pública.

No fechamento da fatura mensal, é calculado a diferença entre as quantidades de energia consumida e de energia que foi gerada.

Sendo assim, caso a energia gerada for maior que a energia consumida, há uma ‘sobra’ de energia. Essa energia excedente é emprestada à distribuidora local e compensada como créditos.

O que fazer com os créditos de energia solar?

Após os créditos de energia solar serem gerados, eles ficam disponíveis para o uso por até 60 meses.

Eles podem ser abatidos nas faturas dos meses em que a capacidade de geração do sistema fotovoltaico for menor, como em períodos nublados e no inverno, cuja estação possui menos tempo de radiação solar.

Entretanto, se não houver créditos suficientes para abater no consumo total do mês, a energia que for consumida a mais será cobrada normalmente conforme a tabela tarifária da distribuidora.

Por isso, o ideal é que o sistema fotovoltaico seja dimensionado para atender toda a demanda do imóvel com sobra de energia, para compensar entre os meses e ter maior economia.

É possível transferir os créditos de energia solar?

Sim, é possível! Através do autoconsumo remoto, é permitido instalar um sistema fotovoltaico em um imóvel ou terreno e transferir os créditos para outro imóvel desde que:

  • Tenha a mesma titularidade (CPF ou CNPJ) da unidade geradora de energia;
  • Esteja dentro da rede da mesma distribuidora;

O autoconsumo remoto é ideal para quem possui dois ou mais imóveis ou para quem não tem espaço adequado na unidade consumidora.

Além do autoconsumo remoto, há outras duas modalidades que permitem o compartilhamento dos créditos de energia solar.

Outra opção é a geração compartilhada, realizada através de consórcios ou cooperativas. A energia solar gerada é distribuída para todas as unidades consumidoras que compõem o grupo e possibilita a transferência de créditos entre elas.

Por fim, tem a geração em condomínios que é para moradores de condomínios. Eles podem acordar uma instalação de um sistema fotovoltaico na área comum do prédio e a energia que for gerada é dividida entre todas as unidades consumidoras e áreas de uso comum.

Quais são as vantagens dos créditos de energia solar?

A praticidade dos créditos de energia solar trazem diversos benefícios para o consumidor, como:

  • Custo reduzido: O Sistema de Compensação de Energia Elétrica com um sistema fotovoltaico bem dimensionado permite que o consumidor passe o ano sem precisar ‘comprar’ energia da rede pública, pagando apenas a tarifa mínima da conta de luz.
  • Livre de aumentos na conta de luz: O cálculo dos créditos de energia solar é feito em kilowatts hora (kWh) e não em reais, isso significa que o consumidor fica protegido contra possíveis aumentos devido à inflação.
  • Isenção de impostos: Após a Lei nº13.169 determinar que o PIS/Cofins não pode ser cobrado e o ajuste SINIEF 2 retirar a obrigatoriedade do ICMS, a energia injetada não sofre mais tributação, sendo a cobrança facultativa a cada estado.
  • Abatimento no Imposto de Renda: Ao fazer a declaração do Imposto de Renda, o consumidor pode incluir o investimento em energia solar na parte de benfeitoria do imóvel.

A possibilidade de conectar o sistema fotovoltaicos à rede pública dispensa o uso de baterias, o que deixa o sistema muito mais barato.

E com o Sistema de Compensação de Energia Elétrica, ficamos mais tranquilos sabendo que não vamos perder a energia que geramos a mais.

Contudo, agora que você já sabe como funcionam os créditos de energia solar e quais são suas vantagens, invista em um kit fotovoltaico agora mesmo  e economize na conta de luz!


Clique no botão de simulação a seguir e faça uma simulação online e gratuita de um kit solar ideal para a sua necessidade.

Imagem ilustrativa

Economize até 95% em
sua conta de luz.

Quero Simular meu Investimento

Assine nosso newsletter.