Falar agora com um Representante

A origem da Energia Solar: conheça a história dessa tecnologia

Engana-se quem acha que a origem da energia solar é algo recente.  Desde que foi descoberta, a energia solar já era vista como uma tecnologia futurista.

No entanto, foram quase dois séculos de estudos e aprimoramentos para chegar no que a tecnologia é hoje: uma das principais fontes de energia do mundo.

Conheça agora a origem da energia solar.

O que é energia solar?

A energia solar, também conhecida como energia fotovoltaica, é uma fonte alternativa proveniente da radiação do Sol.

Basicamente, essa tecnologia permite converter a luz do sol em energia elétrica.

Por esse motivo, a energia solar é uma fonte sustentável e renovável, que não gera impactos ambientais.

Saiba mais sobre a energia solar, como funciona, suas vantagens e desvantagens nesse outro artigo que escrevemos. Clique aqui e confira.

Contudo, a energia solar tornou-se competitiva, sendo a terceira fonte mais utilizada do mundo, ficando atrás apenas das hidroelétricas e da energia eólica.

Veja a seguir a origem da energia solar e sua história ao longo dos anos.

 

Linha do tempo da energia solar

1839: Durante uma de suas pesquisas, o físico francês Alexandre Edmond Becquerel acabou descobrindo o efeito fotovoltaico.

1883: Um inventor de Nova Iorque, Charles Fritts, originou a primeira célula fotovoltaica produzida por selênio revestido de ouro. Essa tecnologia permitiu gerar uma corrente contínua e constante para a conversão elétrica máxima de 1%.

1905: Albert Einstein ficou conhecido como pioneiro na descoberta do efeito fotoelétrico, no entanto, ele apenas modernizou e aprimorou os conceitos descobertos pelo físico Heinrich Hertz em 1887. Em seus experimentos, Einstein apontou a emissão de elétrons de uma superfície em interação com uma onda eletromagnética, formando o efeito fotoelétrico.

1922: Einstein recebeu o Prêmio Nobel de Física por seu trabalho sobre o efeito fotoelétrico. O físico acreditava que um raio de luz não seria apenas uma onda contínua percorrendo o espaço, mas, sim, uma forma de geração de energia. Então, muitos estudos foram realizados a partir disso.

1930: Surgiu a teoria do efeito fotovoltaico, instituída pelo físico Walter Schottky, o qual criou a primeira célula fotovoltaica de mono-silício prática.

1932: Os italianos Audobert e Stora descobriram o efeito fotovoltaico no material composto por seleneto de cádmio, ainda aproveitado nos dias atuais.

1954:  O químico Calvin Fuller, do Bell Laboratories, elaborou o processo de dopagem do silício, que deu origem à era moderna da história da energia solar. O experimento foi melhorado pelo físico Gerald Pearson.

1954: No mesmo ano, o cientista Russell Shoemaker Ohl desenvolveu a “célula solar moderna”.

1958: Um painel de 1 W foi anexado ao satélite Vanguard I e era utilizado para alimentar o rádio do satélite no espaço. A partir disso, os painéis solares começaram a ser utilizados em embarcações, construções, etc.

1976: Os engenheiros David Carlson e Christopher Wronski, dos laboratórios RCA, criaram a primeira célula de silício amorfo, com uma eficiência de 1,1%.

1992: Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Flórida do Sul desenvolveu uma célula de filme fino com 15,89% de eficácia.

1994: O Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) dos Estados Unidos criou a primeira célula que concentra 180 sóis de GaInP/GaAs, ou gálio fosforeto de índio/arsenieto de gálio, tornando-se a primeira célula solar a superar 30% na eficiência de conversão.

1999: A capacidade fotovoltaica total instalada em todo mundo atinge os 1.000 megawatts (MW).

2000: Foram instalados os primeiros sistemas fotovoltaicos conectados à rede (on-grid). A partir daí, a produção mundial anual subiu para 4.200 MWp de células fotovoltaicas.

2006: A utilização de células solares de polisilício alcança o restante das tecnologias fotovoltaicas e bate o recorde de 40% de eficiência

2011: A rápida expansão das fábricas solares chinesas reduziram os custos de fabricação, com menos de US$1.25 por watt a cada módulo fotovoltaico de silício produzido. Com isso, as instalações fotovoltaicas cresceram no mundo todo.

2012: No Brasil, foi instituída a Resolução Normativa n° 482 pela Aneel, que estabeleceu as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica e o sistema de compensação de energia elétrica. Com isso, qualquer consumidor pode gerar sua própria energia renovável conectada à rede de distribuição e acumular créditos energéticos.

2015: Visando aprimorar a RN 482/2012, a Aneel determinou que geradores com potência de até 75 kW seriam considerados como microgeração de energia fotovoltaica, enquanto geradores acima de 75 kW e menor ou igual a 5 MW seriam considerados como minigeração. Além disso, criou modalidades para a geração distribuída de energia: autoconsumo remoto, geração compartilhada e empreendimentos com múltiplas unidades consumidoras (geração em condomínios).

2022: Foi sancionada a Lei 14.300/2022, que instituiu o Marco Legal da Geração Distribuída para micro e minigeradores de energia solar, trazendo mais segurança jurídica e estabilidade regulatória para todo o setor.

Saiba mais sobre a energia solar

Agora que você já conhece a origem da energia solar, aproveite para conferir demais conteúdos exclusivos em nosso blog.

Clique aqui e fique por dentro de todas as novidades e notícias sobre o setor de energia solar no Brasil e no mundo.

Quer saber quanto custa um kit gerador de energia solar ideal para você? Faça uma simulação online e gratuita agora mesmo! Clique aqui.

Encontre-nos nas redes sociais

Onde estamos

Maringá PR
Av. Jinroku Kubota, 2905
(44) 3305-5020
(44) 9 9849-0660

Mais locais

Campo Grande MS
Av. Afonso Pena, 5723, Sala 1108
(67) 4042-2405
(67) 9 9298-8558

Cuiabá MT
Av. Rubens Mendonça 1756, Sala 2406
(65) 4042-0135
(65) 9 9941-8046

Rolar para cima

Preencha o formulário abaixo e receba um orçamento personalizado em poucos minutos!